Notícias

Alerta para o câncer de mama em animais domésticos

Campanha Outubro Rosa alerta para prevenção e diagnóstico precoce.

cao_vet

A campanha Outubro Rosa chama a atenção de mulheres do mundo todo para o diagnóstico do câncer de mama. Mas, assim como diversas doenças, esse tipo de câncer também atinge os animais, principalmente os domésticos.

Segundo especialistas, se diagnosticada de maneira precoce e houver um tratamento eficaz, a doença pode ser tratada e há grandes chances de cura.

Prevenção

Como medida preventiva há a histerectomia eletiva, conhecida popularmente como castração, que é eficiente e reduz em quase 100% as chances de incidência da doença se realizada antes do 1º cio, que acontece por volta dos seis meses de idade.

Se a castração for efetuada antes do 2º cio, as chances do animal não apresentar a doença são maiores que 90% e, após o 2º cio, podem passar de 70%.

Depois do 3º cio, a histerectomia já não exerce tanta influência no desenvolvimento do câncer de mama, mas elimina os riscos de câncer de útero, ovário, infecção uterina e pseudociese.

Câncer em gatas e cadelas

Em gatas, o câncer de mama geralmente é mais agressivo, mas o câncer de mama é o mais frequente em cadelas, por ser relacionado ao desequilíbrio hormonal.

Diagnóstico e sintomas

A detecção do câncer de mama em cadelas e gatas é feita por meio de exames periódicos. Em casa, os donos podem aproveitar os momentos de carinho nos animais para apalpar a extensão das mamas e verificar se há algum caroço.

Ao detectar um nódulo, o tutor deve procurar o médico veterinário que, além do exame físico, vai solicitar exames complementares, como exame de sangue, radiografia torácica, mamografia, ultrassonografia, citologia aspirativa e biópsia, de acordo com cada caso, orientando o diagnóstico definitivo e um tratamento mais racional e eficaz.

É recomendado que os tutores levem os animais pelo menos duas vezes por ano para fazer exames que podem detectar o câncer. Com consultas de seis em seis meses, é possível diagnosticar a doença precocemente.

O câncer de mama é uma doença perigosa nos animais, porque no estágio inicial, os sintomas não são detectados.

Tratamento

O caso de cada animal é particular. A doença localmente avançada é tratada com cirurgia e quimioterapia. Com a metástase disseminada, o tratamento é feito apenas com quimioterapia.

– Cirurgia

O tratamento cirúrgico consiste na retirada da glândula mamária (mastectomia parcial) ou cadeia mamária (mastectomia total). Caso o animal não tenha passado pelo procedimento de histerectomia, também é necessário retirar o útero e o ovário.

– Quimioterapia

A quimioterapia pode ser realizada no período pré e pós-operatório. Como nos humanos, esse tipo de tratamento tem efeitos colaterais. Os mais comuns são: náusea, vômito, diminuição de apetite e queda de pelos.

Fonte: G1

Leia mais

Câncer de mama em cadelas e gatas

Fêmeas castradas antes do primeiro cio têm menor incidência.

cadela

Hoje em dia as neoplasias em pequenos animais tem grande relevância no hospital. As neoplasias mamárias em particular tem uma incidência maior em fêmeas da espécie canina e menor incidência na espécie felina.

Nas cadelas, essa neoplasia representa 25 a 50% de todos os tumores diagnosticados, sendo que todas as raças podem ser acometidas e com mais frequência em animais com idade acima dos 10 anos e que foram esterilizadas após vários estros. Em cadelas esterilizadas (castrada) antes do primeiro estro (cio), possuem uma probabilidade de 0,05% de desenvolver neoplasia mamária. Cadelas que foram castradas após ter passado pelo primeiro estro tem uma probabilidade de 8% de desenvolver neoplasia de mama. Já as fêmeas de cães que foram esterilizadas após terem passado pelo segundo estro já tem uma probabilidade de 26% de desenvolver neoplasia de mama, onde 50% dessas neoplasias são malignas.

Nas gatas essa neoplasia mamária representam a terceira neoplasia mais diagnosticada, sendo mais frequente na raça Siamês e com idade entre 10 e 14 anos, de 80 a 96% dessas neoplasias são malignas e extremamente agressivas para espécie.

Em ambas as espécies os fatores de risco mais descritos a estimulação estrogênica,  emprego de contraceptivos, alimentação rica em gordura e em gatas além do consumo de gordura a ingestão excessiva de carne vermelha.

Os proprietários devem sempre se manter atentos aos sinais clínicos que seu animal está apresentando, pois em geral os tumores de mamas se apresentam como nódulos circunscritos com dimensões variáveis, podendo ser móveis ou não, o animal também pode apresentar o linfaedema (inchaço nos membros anteriores ou posteriores), associado a isso o animal pode começar a sentir dor e obter uma mudança comportamental, como por exemplo a falta de apetite, desanimo, agressividade entre outros.

Ao notar os sinais clínicos já citados a cima o proprietário deve procurar o seu veterinário para que esse animal tenha um diagnóstico e tratamento adequado, na maioria das vezes este será encaminhado para um veterinário especializado em oncologia que começara a fazer o que chamamos de estadiamento da doença que tem como objetivo avaliar o tamanho do tumor mamário, se há comprometimento de linfonodos regionais e se existe a presença da metástase a distância.

“O estadiamento é feito através de exames físicos e exames complementares como hemograma, ultrasom abdominal, radiografia de tórax, eletrocardiograma e ecocardiograma. A citologia apenas é realizada para descartar a suspeita de carcinoma inflamatório que é um estágio muito avançado da doença e normalmente não recomendamos o ato cirúrgico. Após o estadiamento, determinamos qual será o tratamento mais recomendado para cada animal”, orienta Dra. Camila Ferrari, Oncologista Veterinária do Hospital Veterinário Vet Popular.

O tratamento geralmente se inicia com a remoção completa da formação mais todo o lado da cadeia mamária acometida, a retirada de linfonodos inguinais e axilares, porém quando temos os dois lados da cadeia mamária acometida dividimos essa cirurgia em duas partes, após a recuperação completa do animal pós cirúrgico retiramos a segunda cadeia mamária acometida, sempre dando preferência para o lado que estiver mais comprometido, lembrando sempre que se na primeira cirurgia o animal não for castrado isso deverá ser realizado obrigatoriamente na primeira cirurgia.

Após a cirurgia o material é encaminhado para o histopatológico (biópsia), para obter um diagnóstico definitivo do tipo da neoplasia e além do diagnóstico o histopatológico pode nos fornecer informações adicionais para definirmos protocolo quimioterápico e prognóstico para esse paciente.

“Por fim, o paciente é encaminhado para quimioterapia quando temos um diagnóstico de tumor maligno ou é apenas acompanhado quando o diagnóstico for de um tumor benigno. Após a realização da quimioterapia em pacientes com tumores malignos será necessário o acompanhamento com exames periódicos no período de dois anos”, finaliza Dra. Camila.

Leia mais

Cinomose Canina e sua prevenção

Cinomose Canina e sua prevenção

Doença pode atacar filhotes com menos de três meses de idade.

sinomose_1

A cinomose canina é considerada uma doença viral altamente contagiosa, podendo atingir animais jovens e velhos que não foram imunizados ou por alguma falha vacinal.

O vírus da cinomose é extremante contagioso podendo causar infecções em todo o organismo, principalmente em filhotes com menos de três meses de idade, com altos índices de mortalidade.

Ambientes secos e frios propiciam a sobrevivência do vírus, podendo permanecer vivo no ambiente, em média, por até 3 meses, mesmo após a retirada do animal portador. Porém ele é muito sensível ao calor, luz solar e desinfetantes, sendo assim inativado.

A cinomose se dá através do contato entre os animais não infectados com os animais infectados, ou pelas vias respiratórias, pelo ar contaminado ou por fômites, que são objetos que já tiveram contato com o portador da cinomose.

Uma forma de transmissão direta seria por meio da secreção do nariz e boca de animais já infectados pelo vírus da cinomose.

No caso de contaminação, os sintomas mais comuns que seu pet pode apresentar são: apatia, falta de apetite, secreção nasal e ocular, sinais neurológicos aparentes (tiques nervosos, paralisia, convulsões entre outros sinais) e sinais digestivos (vômitos e diarreias). “Muitas vezes os sinais começam pela fase respiratória com secreção nasal purulenta”, diz a Dra. Cibele Pedroso Smelan, médica veterinária do Hospital Veterinário Vet Popular.

A melhor forma de proteção é por meio da vacinação, que deve ser feita por um profissional Médico Veterinário. Os cães podem ser vacinados com seis meses de idade, filhotes devem receber três doses desta vacina a partir dos 45 dias de vida. Posteriormente os cães devem receber uma dose da vacina anualmente.

Leia mais

Evolução na anestesia em internação de risco

Cuidados básicos com tipos de anestesia podem salvar seu pet.

anestesia

A anestesiologia veterinária vem avançando cada vez mais ao longo do tempo. Com o passar dos anos, a anestesia intravenosa deu espaço a anestesia inalatória, uma das modalidades anestésicas mais seguras.

Com a utilização da anestesia inalatória, paciente de maior risco como cardiopatas, renais, diabéticos, dentre outros, tiveram a possibilidade de serem submetidos a procedimentos cirúrgicos com menor risco.

Além disso, a presença de um médico veterinário anestesiologista durante todo o procedimento cirúrgico é de extrema importância. “Com o anestesista e os melhores equipamentos do mercado, seu pet será monitorado a cada minuto, afim de evitar ou corrigir qualquer intercorrência que possa acontecer”, diz Andreia Casaes, médica veterinária do Hospital Vet Popular.

O Hospital Vet Popular 24h conta hoje com um centro cirúrgico completamente equipado, internação ampla e constantemente higienizada evitando infecções hospitalares. Toda infraestrutura necessária para a cirurgia e o pós cirúrgico do seu animal com o que há de mais moderno neste segmento.

Leia mais

Saiba os cuidados na gestação de cadelas

Saiba os cuidados na gestação de cadelas

Detect-Pregnancy-in-Your-Female-Dog-Step-4

Veterinários do Hospital Vet Popular alertam sobre o acompanhamento das mamães.

A gestação em cadelas dura aproximadamente de 58 a 62 dias. É nesse período que ela necessita de alguns cuidados essenciais para ter um parto tranquilo, com filhotes fortes e saudáveis.

A confirmação da gestação poderá ser feita entre 20-30 dias após a cruza através do exame de ultrassonografia abdominal. Este é sensível para observar viabilidade fetal, batimentos cardíacos e diferenciação dos órgãos abdominais e torácicos. Porém não é o mais indicado para definir o número preciso de fetos. Para isso, é indicado o exame de raio-x abdominal com aproximadamente 45 dias de gestação.

“Após 30 dias de gestação a cadela tem uma necessidade energética maior, por isso é aconselhado a mudança de alimentação: ração de filhote com alto teor de gordura e cálcio é a principal indicação alimentar neste período. Mantenha sempre água fresca e limpa”, diz o Dr. Luiz Cesar Moretti, médico veterinário do Hospital Veterinário Vet Popular 24h.

Os banhos podem ser dados normalmente até uma semana antes do parto, porém se a cadela tem hábito de se agitar muito durante o banho, é aconselhado diminuir a freqüência ou até mesmo evitá-los. Fatores estressantes podem desencadear o parto precoce.

As cadelas prenhes devem ser vermifugadas após 45 dias de gestação. Posteriormente, deve ser tratada junto com o filhote no 15º dia após o parto.

“É aconselhado que a carteirinha de vacinação esteja em dia antes mesmo da cruza, pois não é indicado vacinar fêmeas gestantes”, alerta a Dra. Caroline Mouco Moretti, médica veterinário do Hospital Veterinário Vet Popular 24h.

Na última semana de gestação deixe tudo preparado. Deixe uma área segura e tranquila, de fácil acesso para a fêmea, longe de barulhos e correntes de ar. Arranje uma caixa ou uma caminha com panos para que a cadela possa deitar e se acomodar na hora do parto.

Os primeiros sinais aparecerão até 48 horas antes do início do parto. A fêmea ficará inquieta, vai procurar “ninhos” e cavar a caminha ou a caixa. Mostram desconforto e não conseguem se ajeitar para deitar ou dormir. É normal a cadela não querer se alimentar ou diminuir o apetite nesse período.

Chegada a hora do parto, a cadela começará a sentir as contrações – movimentos abdominais semelhantes a da evacuação. É comum observar corrimentos vaginais de coloração esverdeada. Após o início desses eventos, a cadela tem até duas horas para parir o primeiro filhote.

A partir do nascimento do filhote, normalmente a mãe tem condições de fazer tudo sozinha: ela rasga a placenta, corta o cordão umbilical, cessa o sangramento do cordão, em seguida inicia a limpeza das narinas, ajudando assim o filhote a respirar, limpa todo o filhote, e enfim o direciona as mamas, estimulando esse a receber o colostro.

“O intervalo entre o nascimento de um filhote e outro é de aproximadamente duas horas”, conta Dr. Luiz Cesar.

Observe se todos os filhotes estão mamando bem e se ela está os aceitando bem.

Mas lembrem-se: para garantir que tudo ocorra bem, a monitoração e acompanhamento pelo Médico Veterinário é fundamental! Por isso desde o inicio da gestação, leve a mais nova mamãe para fazer visitas periódicas em seu veterinário.

O Hospital Veterinário Vet Popular 24h fica localizado na Avenida Conselheiro Carrão, 2694 – Vila Carrão. Mais informações: (11) 2093-0867 – (11) 2093-8166.

Leia mais

NOTA | Caso paciente Pintada (SRD)

➡ O Hospital Vet Popular comunica que a paciente Pintada, da espécie canina, SRD, baleada no Terminal de Cargas da Zona Norte, na noite desta quarta-feira, foi prontamente atendida em caráter emergencial pela Dra. Bianca Ferreira e, posteriormente, encaminhada ao centro de internação sob os cuidados da equipe médica intensiva liderada pela Dra. Fernanda Risoli e Dr. Luiz Cesar Moretti, realizando todos os procedimentos para estabilização de sua saúde. Neste momento, encontra-se internada e seu estado de saúde é estável. A mesma fará, durante todo o dia, uma série de exames de imagem, cardiológicos e hematológicos para, assim, os médicos avaliarem seu estado de saúde com mais precisão. A princípio, Pintada ficará internada por tempo indeterminado.

➡ IMPORTANTE: o Hospital VET Popular CUSTEARÁ TODO O TRATAMENTO da Pintada, não havendo custos aos policiais que a socorreram. Agradecemos a confiança dos soldados do 5.º Batalhão da Polícia Militar de SP.

➡ O Grupo Vet Popular repudia toda e qualquer violência contra os animais e acredita na justiça para que o agressor seja punido por tal crueldade.